Central American News: a mídia da diáspora que conecta a América Central e o exterior

MELISSA VIDA & BREE’YA BROWN  |  23 JUNHO 2021  |  EDIÇÃO 15  |  TRADUZIDO DO INGLÊS

Melissa Vida _ Bree_ya Brown.jpg

Imagem: Arte por Xiomara Garay no Instagram. Cortesia da artista.

No final de dezembro de 2020, Bree’ya Brown se deparou com a conta Central American News no Instagram. Apesar de ter crescido em uma família panamense, encontrar notícias sobre a América Central sempre foi raro, especialmente na mídia de massas dos EUA. Para Bree’ya, o Central American News se tornou uma ferramenta digital para saber dos acontecimentos atuais da região e conversar com sua avó sobre a América Central, o que fortaleceu seu laço intergeracional. Ela viu a relevância de ter um veículo de mídia criado por membros da diáspora para construir uma ponte entre nossos países de origem e o exterior.

 

Muito frequentemente, a mídia dos EUA publica notícias sensacionalistas de “caravanas de migrantes”, “surtos” de migrantes, e gangues violentas. Essa abordagem demonstra falta de interesse genuíno nas sociedades centro-americanas, ignora noções culturais, revela preconceitos e simplifica fenômenos demasiadamente. Simultaneamente, a mídia de massas ignora as formas como os EUA intervieram nas regiões da América Central durante o século XX e participaram de banhos de sangue durante a Guerra Fria, desestabilizando o tecido social das gerações futuras. Os ecos dessa história ainda impactam nossas famílias.

 

Mais de 3,5 milhões de centro-americanos vivem nos Estados Unidos e milhares de outros buscam asilo no Reino Unido e Espanha. Décadas de guerras civis, intervenção estrangeira, fraqueza econômica e desastres climáticos forçaram nossos pais, e agora nossos contemporâneos, a fugir. Hoje, por exemplo, um quarto dos nacionais salvadorenhos moram fora de El Salvador. A grande, e crescente, diáspora centro-americana busca informação consistente e diversa sobre suas terras de origem, mas não sabem por onde começar ou não falam espanhol.

 

Bree’ya passou a ler em voz alta a newsletter do Central American News para sua família, focando particularmente no Panamá. Isso ofereceu a ela a chance de formar suas próprias opiniões sobre cultura, sociedade, economia e política da América Central sem depender da mídia de massas dos EUA.

 

O Central American News fornece uma perspectiva atualizada da região ao dar espaço para que os próprios centro-americanos, na região e no exterior, produzam as notícias. É libertador decidir quais notícias destacar, construir narrativas e escolher nossas palavras com cuidado. Nós jamais teríamos qualificado os movimentos migratórios recentes como “surtos”, por exemplo, porque a palavra gera medo dos nossos povos.

 

Toda semana, um time voluntário de 14 pessoas investe algumas horas no Central American News. Nós condensamos uma semana de notícias da Guatemala, Belize, Honduras, El Salvador, Nicarágua, Costa Rica e Panamá, assim como sobre migrações. Ao citar uma variedade de fontes de notícias sobre cada país dentro da região, os leitores então têm a liberdade de navegar por veículos de mídia locais para mais informações. Artes e cultura frequentemente dão um bonito equilíbrio às notícias sobre desastres ambientais ou corrupção. Para nós, mostrar uma imagem mais completa da América Central é imperativo.

 

O Central American News nasceu no verão de 2018 em meio a “caravanas de migrantes”, repressão estatal violenta de manifestantes na Nicarágua, e o nascimento de uma comunidade digital de centro-americanos na diáspora, “#CentralAmericanTwitter”. Os centro-americanos no exterior frequentemente se sentiam isolados dos outros, então plataformas digitais tiveram um papel importante na criação de uma comunidade.

 

A jornalista salvadorenha e belga Melissa Vida, a fundadora e agora editora chefe da newsletter, viu a necessidade de fornecer notícias regulares da região para combater os preconceitos da imprensa internacional e ciclos de notícias em um formato simples: uma newsletter. Conforme mais e mais membros da diáspora centro-americana assinavam – assim como outros jornalistas, pesquisadores, ativistas e oficiais do governo – o time em crescimento criou contas nas redes sociais e no Patreon e, então, um podcast.

 

José Luis Martínez, um texano descendente de salvadorenhos, fundou o Central American News Podcast para oferecer à audiência uma recapitulação concisa da newsletter, junto com a co-host Cecilia Rivas. O primeiro episódio foi lançado em fevereiro de 2020 e continuou, semana após semana, fornecendo notícias da América Central para ouvintes em vez de leitores. “Minhas habilidades são em narração digital e aprendi muito com ideias de projetos de fora, que podem então serem transferidos para o Central American News”, disse José, que estuda jornalismo. Durante a pandemia, José também criou um mapa interativo da COVID-19 na América Central usando uma ferramenta de visualização de dados e estatística. Apesar dos registros públicos terem tornado a tarefa difícil algumas vezes, José cuidadosamente registrou estatísticas da COVID-19 de governos e ONGs na América Central.

 

Frequentemente, recebemos recados de nossa audiência, com mensagens como “MUITAS gracias por existirem e compartilharem as notícias realmente importantes da América Central <3 muito amor e positividade para vocês!” ou “Amo a newsletter! Vocês todos fazem um grande trabalho. Sou aluno de graduação em Nova Jérsei. Sou originalmente de Honduras e esse é o melhor jeito de ficar informado”. 

 

Hoje, a newsletter tem mais de 1000 assinantes, 50% dos quais abrem a newsletter toda semana. Milhares de outros seguem nas redes sociais e ouvem ao podcast. Aqueles que doam para a newsletter pelo Patreon se beneficiam de entrevistas exclusivas com especialistas na região. Conversas aprofundadas no nosso podcast e uma conta no TikTok estão prontos para alcançar uma audiência ainda mais diversa.

 

Em abril de 2021, Bree’ya entrou para o time do Central American News para curar notícias do Panamá. Como arquivista, ela quer entender o passado e o presente da América Central. Para ela, permanecer conectada com sua cultura panamenha e compartilhá-la vai ajudar a construir um sentimento de pertencimento na diáspora, assim como destacar a beleza do país de sua avó.

 

Bree’ya Brown

Bree’ya Brown trabalha como Arquivista de Projeto para o Projeto do Comércio de Escravos Domésticos do Texas e é curadora da seção do Panamá para o Central American News. Ela é da segunda geração de panamenhos-americanos. Ela tem um mestrado em Estudos da Ciência da Informação da Universidade do Texas em Austin e um mestrado em Artes na História da Universidade Estadual da Califórnia, Long Beach.

Melissa Vida

Melissa Vida é uma jornalista multimídia freelance salvadorenha e belga com publicações no The New York Times, Foreign Policy e El Faro. Ela também editora de América Latina na Global Voices e editora chefe do Central American News. Em 2019, ela fez o documentário Resucitaré (“Renascerei”) sobre o legado de Oscar Romero em El Salvador.

puerro largo.png

This article is part of the issue ‘Empowering global diasporas in the digital era’, a collaboration between Routed Magazine and iDiaspora. The opinions expressed in this publication are those of the authors and do not necessarily reflect the views of the International Organization for Migration (IOM) or Routed Magazine.

iDIASPORA logo.jpeg
white banner FIXED shorter.jpg

Outros artigos

Foteini Kalantzi S.jpg

O papel da tecnologia no fortalecimento das redes diaspóricas

Melanie Stanek - ODW Lab in Tijuana.HEIC

Diminuindo a disparidade no letramento digital para requerentes de asilo no México

Saul_Aguilar_-_credit_to_Rebeca_Garcia_Rivera.jpg

Guatemala: da crise na fronteira à imobilidade do povo de Patzún. O povo Maia em risco